Filosofia

O Ninja moderno

Tradução: Dai Shihan Pedro Fleitas

Uma vida diferente
Por masaaki hatsumi
(fonte: o ninja moderno. O original foi publicado em japonês há mais de 25 anos)

Houve uma época em que o bokken fazia as vezes de sabre e estava pendurado do ombro direito ou do esquerdo, de acordo com as preferências, mas também havia quem usava um em cada ombro. O fato de levar a arma ao corpo, fez com que se chamasse tsurugi, sem poder distinguir se era um sabre de madeira ou de metal que se portava.
Em cada região há lendas maravilhosas que nos falam de episódios fabulosos que foram transmitindo no tempo. Claro, o grande hikkyu osho6 também viveu ao seu gosto. Diz-se que, em algum momento, o seu modo de viver era confuso e caprichoso, mas também hoje, no campo ou na cidade, em qualquer lugar do planeta, as pessoas que não se comportam como todo o mundo são geralmente referidas.

• Hikkyu Osho foi um famoso monge budista que viveu de 1394 a 1481

Houve uma época em que hikkyu tinha o hábito de pendurar o bokken da cintura e andar sem rumo fixo pela cidade onde vivia. Provavelmente, os vizinhos, mesmo naqueles tempos, que o vissem passear, ficariam surpreendidos. Diz-se que ele próprio não hesitou em qualificar esta aparência como a própria de um louco. Pessoalmente, pensando no ambiente e na situação do momento, não posso deixar de sentir alguma simpatia por este tipo de loucura. A época em que viveu hikkyu, conhecida pelo nome de muromachi7, é identificada pela majestade cultural e ao mesmo tempo o caos de poder que se começava na escala social. Mesmo para alguém como eu, uma pessoa que vive nesta época, andar com o bokken pendurado da cintura não é completamente incomum, embora seja verdade que quando eu passeio as pessoas me olha com surpresa. Há que reconhecer que a segunda metade da época showa também teve o seu momento maravilhoso, mas não se pode negar que lhe acompanhava o início de um declínio seguro.
Para dar alguns exemplos, recordemos que neste momento se pode dizer que a maioria das pessoas perdeu ou desconhece o respeito pelos seus mais velhos, a unidade familiar tende a desaparecer perante a falta de verdadeira unidade provocada pelos divórcios, a incompreensão no Seio da família, as aulas nas escolas onde a violência é feita comum e, por outro lado, os meios de informação totalmente mediatizados, cheios de interesses… poderíamos dizer que socialmente se está a produzir uma mudança não desejada.
Também se diz que a hikkyu detestava relacionar-se com outras pessoas, acho que é uma atitude que se pode compreender. Normalmente, penso que se relacionar com outras

• Período que abrange aprosimadamente de 1338 a 1600, sendo este o ano da grande batalha de sekigahara, onde se inicia o longo período das incessantes guerras civis.

Pessoas é muito importante. Mas um excesso de contacto leva a interferir nas coisas mais pessoais e meter o nariz onde não se deve, o resultado acaba sendo nefasto para ambas as partes que se incomodam e acabam discutindo não com pouca frequência. Em Japonês diz-se “Tsukiau”, termo que define uma relação humana e, por outro lado, significa encontro com as armas8 se tentarmos transferir esta ideia ao pensamento de um praticante das artes marciais, chegaríamos à conclusão de que por uma parte alguém acredita Agir corretamente e agir em conformidade, a outra parte recebe a ação como um ataque e ocorre inevitavelmente a encontro. Aqueles que não entendem algo tão simples, acabam por se sentir mal perante a reacção do amigo sem se aperceber do que motivou tal situação.
No que diz respeito à atitude louca de hikkyu, não serão poucos os que desdém a expressão falta, mas para aqueles que consideram preferível ao pronto antes do louco, recordo-lhes que após a palavra pronta, que a simples vista parece ser única e exclusivamente algo lisonjeiro, Escondem-se os conceitos de astuto, hábil, manhoso… termos que nem sempre são tão positivos. Pelo contrário, o conceito de louco não tem absolutamente nenhuma conotação negativa. Parece que o nosso homem não queria uma posição social, talvez porque sabia que aspirar a tal pretensão era uma mudança na integridade do indivíduo. Perante tal conclusão, estou inclinado a pensar que alguém que chega a tal decisão é precisamente quem deve sentar-se na cadeira dos poderosos.
Como dizíamos em linhas anteriores, hikkyu tinha por hábito passear com o bokken pendurado da cintura, não

• Embora as letras são diferentes o valor fonético é igual.

Seria ridículo pensar que alguém do seu talento gostasse de lutar, é certo que após a sua longa experiência chegou ao conhecimento de que “quem está sempre a cortar acaba por ser cortado”. no mundo do budo esta máxima é uma realidade absoluta que Mais cedo ou mais tarde se manifesta de uma maneira ou de outra. Hikkyu levou uma vida sem planos, deixando-se levar pela completa inconsciência, ou falta de preocupação, de uma realidade que lhe fez conhecer o seu verdadeiro valor.
A história do budo que nós praticamos (Ninjutsu)
Remonta a mais de mil anos, depois de praticar sem descanso este modo inconsciente de viver, se alcança uma arte inesgotável em união com o espírito, tudo isso é transmitido durante gerações do mestre ao discípulo e deste a outros que virão depois para fazer De tudo isso uma fonte inesgotável de saber e poder. É uma mensagem sem limites, sem fim e desinteresado9

• O autor decide defini-lo por falta de interesses materiais. Embora seja óbvio que o considera de um interesse muito mais profundo do que é apreciado à vista.
Kenzen ika

Comentários no Facebook